Título: O Ano em que te Conheci

Título Original: The Year I Met You

Autora: Cecelia Ahern

Editora: Novo Conceito

Ano: 2016

Número de Páginas: 336

Sinopse: Bem-vindos ao mundo imperfeito de Jasmine e Matt.
Vizinhos, eles não tem o menor interesse em tornarem-se amigos e nunca haviam se falado antes. Estavam sempre ocupados demais com suas carreiras para manter qualquer tipo de contato.
Jasmine, mesmo sem nunca tê-lo encontrado, tem motivos para não suportar Matt.
Ambos estão em uma licença forçada do trabalho e sofrendo com seus dramas familiares. Eles precisam de ajuda. 
Na véspera de Ano-Novo, os olhares de Jasmine e Matt se encontram de forma inusitada pela primeira vez. Eles tem muito tempo livre e precisam rever seus conceitos para poder seguir em frente.
Conforme as estações do ano passam, uma amizade improvável lentamente começa a florescer.
Uma história dramática, original e divertida como só Cecelia Ahern é capaz de escrever.


Classificação:





Olá, queridos leitores! Recebi o livro O Ano que Te Conheci como cortesia da editora Novo Conceito (Obrigada ♥). Primeiramente, Uaauu que gráfica foi essa capa? Eu me apaixonei por ela♥. Sabe aquela sensação de felicidade no entardecer? Quando estamos na nossa casa, observando o céu da varanda? Então, como podem ver, eu realmente amei essa capa.

A autora Cecelia Ahern é muito conhecida no mundo literário, principalmente depois do livro Simplesmente Acontece. Apesar de ter lidos todos os livros da autora já publicados no Brasil, sempre tenho a sensação de que falta algo para, realmente, me prender na história (a única exceção foi com o livro Simplesmente Acontece) . Com esse livro não foi diferente, demorei um pouco para realmente gostar da história. 

Acredito que um dos fatores de não ter me envolvido tanto na história foi porque o livro é contado como um diário, tem mais histórias do passado e narração de acontecimentos do que diálogos. Senti bastante falta disso, pois quando a estória tem diálogos se torna mais ativo e real (pelo menos, para mim). Contudo, foi gostoso de ver o desenrolar da estória e o amadurecimento dos personagens. O final salvou tudo, sem comentar da trolada que levei desse romance (risos).  

A estória via contar sobre a vida de Jasmine e Matt, duas pessoas que não sabiam o significado da palavra descansar. São vizinhos a anos em uma rua onde só tem aposentados fofos e nem ligavam de conhecê-los e, muito menos, de cuidar da própria casa ou família.

Jasmine perdeu o avó quando tia 5 anos e isso mudou a sua vida; foi quando percebeu que ninguém viveria para sempre. Então, ela tem um lema de vida de tipo "não se apegar a nada" e "não gastar o tempo em vão". Essa frases regem sua vida. Para ela só existe trabalho e sua irmã, por quem ela tem o amor mais lindo desse mundo♥. A irmã mais velha de Jasmine tem Síndrome Down, mas não vão pensando que ela é dependente, ela é muito esperta e se vira sozinha muitas vezes. 




Jasmine foi demitida do negócio que tinha com seu amigo - que, no caso, achei a maior sacanagem que o homem fez, mas ela precisava disso - e como ele sabe que Jasmine é valiosa e cobiçada pelas outras impressas concorrentes, fez com que ela assinasse um acordo que iria passar um ano sem trabalhar, embora ainda ganharia o salário. Ela se ver perdida com essa situação, afinal ela sempre estava em movimento, sempre tinha uma ideia para algum negócio. O que ela faria nesse ano de férias?

Matt trabalha na rádio ou quer dizer trabalhava? Ele a um tempo vem se perdendo de si, se tornou um alcoólatra e a sua família não sabe mais o que fazer. No programa de Ano Novo, ele fez algo que não foi visto com bons olhos e acabou sendo suspenso do programa por 6 meses e, para completar, no mesmo dia o seu filho postou um vídeo no Youtube falando mal dele e, quando chegou em casa, descobriu que a sua esposa e filhos tinham ido embora.

Se antes ele já bebia e fazia "showzinho" toda madrugada, depois de se suspenso e abandonado pela família a coisa ficou pior (devo confessar que o seu humor negro me conquistou).  

Matt e Jasmine sofrem bastante com o afastamento do trabalho, pois para eles trabalhar era como esquecer dos problemas reais e manter a mente ocupada. Quem os ajuda é o vizinho, Dr. J., um fofo aposentado que tem muitos anos de experiencia para ajudar esses "jovens". Apesar de grandes turbulências e grandes verdades ditas um na cara do outro, eles se tornam amigos.

O bom é que o jeito errado e imperfeito de cada um ajudou o outro, passaram por seus ódios e problemas e foi surgindo um apoio mútuo. Com o passar das estações, podemos ver o amadurecimento e evolução que cada personagem passa. Cada um, a seu modo, arranjou algo para o que lutar e vencer essa fase.




Na história foram aparecendo alguns personagens que apesar de aparecerem pouco se tornaram essenciais para a edificação da história. Se eu leria novamente esse romance? Sim. Esse livro só afirmou o meu lema " Não há um mal que não traga um bem".

Quote:

"Se a primavera é esperança, o verão é orgulho, o outono é modesto, e o inverno é resiliente."

"Milagres só crescem onde você os planta."






Olá queridos leitores, hoje irei falar um pouco sobre esse k-drama que me emocionou tanto. Uncontrollably Fond foi transmitido pela emissora  KBS2, com seu  primeiro episodio sendo lançado no dia 6 de julho de 2016 e o último dia 8 de setembro 2016, seus episódios iam ao ar toda quarta e quinta. No total foram 20 episódios de muito amor, drama, suspiros e choro.  




Sinopse: Kim Woo Bin (Heirs) e Suzy (Architecture 101) possuem uma química impressionante no “Império do mundo K-pop”. Esse romance se tornou um dos K-dramas mais esperado do ano. Kim woo Bin faz o papel de uma grande estrela Hallyu, o Shin Joon Young, que foi forçado a se separar muito jovem da garota que gostava, a No Eul (Suzy). Eles se reencontram quando se tornam adultos, mas ele se tornou um artista arrogante e a No Eul uma produtora de TV. Quando seus caminhos se cruzam novamente anos mais tarde, Joon Young descobre que No Eul agora é uma pessoa muito diferente da que ele se recordava: materialista e disposta a fazer qualquer coisa para sair ganhando. Há alguma esperança para Joon Young e No Eul de reavivarem sua antiga relação?

 Kim Woo Bin e Suzy demonstraram uma química forte entre eles durante as gravações do drama, e Uncontrollably Fond tem a mistura perfeita de drama e romance. A atriz Im Joo Eun também retorna as telinhas como uma herdeira rica, juntamente com o ator Im Joo Hwan (Oh My Ghostess) um poderoso executivo, no papel de coadjuvante, com suas próprias motivações. Uncontrollably Fond é dirigido por Park Hyun Suk, que previamente dirigiu os dramas Spy (2015) e The Princess’s Man (2011). O drama foi escrito pela roteirista veterana Lee Kyoung Hee, dos famosos dramas Nice Guy, Thank You, A Love to Kill e I’m Sorry, I Love You. 


Iniciei esse drama por causa de Kim Woo Bin. O primeiro dorama que assisti (Heirs) tinha a participação dele como um dos personagens principais, porém Kim Woo Bin era o antagonista . 

Mas ele ser o antagonista não afetou em nada, para ser bem sincera foi a primeira vez que eu gostei do vilão de um história. Passei o tempo todo torcendo para ele ter um final feliz também.
Enfim, Kim Woo Bin conseguiu tanto em Heirs como em Uncontrollably Fond conquistar meu coração. Ele consegue entrar no personagem e expressar todo o sentimento que é necessário e passar para os telespectadores.  
Sou uma grande admiradora do trabalho dele, sem falar que ele tão lindo, o seu sorriso deixa qualquer uma boba e apaixonada ♥. 
Deixo essas imagens no lado para se encantarem por ele HiHi


O Drama irá contar a história/Romance de Shin Joon Young e No Eul. Eles quando jovens tiveram uma relação um tanto quanto perturbada, sem comentar que os dois tinham problemas familiares, mas ainda assim sentiam algo um pelo outro, contudo por motivos realmente  fortes acabaram se separando. 

Mas o destino os reúnem novamente, porém eles não são mais os mesmo. Os seus valores mudaram completamente, Shin Joon Young é um cantor que acredita que todos devem fazer o que ele quer, no caso um playboy, No Eul passou por momentos muito difíceis e teve que criar o irmão sozinha e por isso ela é um jornalista que recebe suborno na maioria das vezes. Os dois são cheio de defeitos.
No entanto, tudo muda quando Shin Joon Young descobre que está doente. Ele percebe que deixou de fazer muitas coisas que para ele deveria ser prioridades e agora ele vai atrás de realizar. E por obra do destino, após 10 anos, No Eul reaparece na sua vida, sem nem pedir licença. Ele de inicio não sabe o que fazer, não queria que ela entrasse na sua vida logo agora que descobriu sobre a doença, mesmo assim que tem algo em mente, além de todas as outras coisas, ele vai conquista-lá custe o que custar.


Porém o caminho é longo e árduo, durante a trama acontece bastante coisa, que fazem com que a gente, mero telespectador, fiquemos loucos. Tem muita cena forte que deixam nossos olhos marejados e a garganta entalada . A química encontrada entres os personagens principais é linda de se ver, nos apaixonamos a cada episodio, nos vemos torcendo e brigando com eles. Foi um dorama incrível de assistir,
passou mensagens que valem levar pelo resto da vida. Sobre como devemos fazer as coisas que queremos sem ter medo, de seguir nossos sonhos, de expressar nossos sentimentos, de amar intensamente e que na nossa vida finita podemos transformar em infinito.


Assisti pelo site DramaFaver, mas tem outros sites também que disponibilizam de graça, se quiser o site é só pedi nos cometários.


Olá queridos leitores, tem novidade para o blog, uma nova categoria chamada "Dorama, Anime, Mangá & K-Pop"! Sou apaixonada pela cultura oriental. Para ser mais exata, sou apaixonada pela cultura coreana, chinesa e japonesa. Descobri esse mundo quando tinha uns 10/11 anos, Passava na TV Globinho um desenho - na época, não sabia que o nome correto era anime - chamado Sakura Card Captor ( MEU DEEEUUS, amava esse desenho! Sem falar que não faz nem 2 anos que assisti o anime inteiro de novo HAHA).



Gente, é a coisa mais fofa desse mundo esses dois ♥, agora estou com vontade de assistir novamente HAHA )
Quando terminei Sakura, fui procurar outro desenho parecido. Então, encontrei esse mundo dos animes em que, a maioria, vinham de mangás. Seriam como histórias em quadrinhos, porém para lê-los precisa começar da última página para a primeira. Existe vários gêneros de mangás e animes, mas os que eu mais lia na época (posso dizer que hoje em dia também HAHA) são os de colegiais.



Na minha cidade existia uma loja onde vendiam mangás e animes, porém ela acabou fechando depois de um tempo, agora tenho duas opções: ou compro pela internet ou vou naqueles sites #AmigosDoPeito que disponibilizam de graça tanto animes como mangás.

Mas a minha mais nova descoberta foi os Doramas♥. O que seria, então, Dorama? É nada menos que uma definição para novela oriental, podendo ser J-Drama (drama Japonês), K-Drama (drama Korean) e C-Drama (drama Chinês). Sei que devem pensar " Novela? Nem de novela eu gosto". Pois é, nem eu (risos). A novela deles tem um estilo totalmente diferente, não enrola tanto quanto as novelas brasileiras, os finais não são previsíveis, o roteiro é bastante parecido com os mangás/animes e o números de episódios são de, no máximo, 26. Por que eu gosto tanto? Porque são inocentes se comparado com os novelas brasileiras e com as séries. Me pego rindo, suspirando, amando os personagens sem eles precisarem chamar muita atenção.

Cenas de Heirs (em breve falarei sobre o Dorama):






Meu primeiro Dorama assisti no Netflix. O gênero ainda é recente no catálogo e, por esse motivo, fui procurar por fora mais Doramas e foi aí que encontrei o Dramafever. Eles disponibilizam vários Doramas de graça, porém ainda tem alguns que precisam ser Premium para assistir sem comercial. Nele existem vários Doramas de todo tipo, como por exemplo: comédia, romance, fantasia, terror, entre outros.

Como meu tempo é corrido por causa da faculdade, às vezes eu não tenho tempo para ler ou estou aqueles períodos que me encontro com ressaca literária e não quero ler nada, aí vou atrás de um mangá, anime ou Dorama então pensei " Porque não compartilhar essas histórias incríveis com meus leitores?". A partir de agora irei dividir com vocês esse meu amor ♥. Espero que gostem.


Link Dorama Grátis: DramaFever












Título: RoomHate

Autora: Penelope Ward

Editora: Createspace Independent

Ano: 2016

Número de Páginas: 280


Sinopse: Dividir uma casa de verão com um companheiro de quarto quente como o inferno deveria ser um sonho se tornando realidade, certo? Errado! Não quando o meu companheiro é Justin. A única pessoa que eu havia amado, e que agora me odeia.

Quando minha avó morreu, recebi como herança a metade de sua casa localizada na ilha Aquidneck; havia apenas um pequeno problema: a outra metade iria para o garoto que ela ajudou a criar.

O mesmo garoto que virou o adolescente cujo coração eu quebrei anos atrás.

O mesmo adolescente que agora é um homem com um corpo rígido e uma personalidade rigorosa para corresponder. Eu não o via há anos, e agora estamos morando juntos porque nem um de nós está disposto a desistir da casa.
A pior parte? Ele não veio sozinho.
Logo perceberia que há uma linha tênue entre amor e ódio. Por baixo desse sorriso presunçoso eu podia ver que o garoto que uma vez conheci, ainda está lá. Então, essa é a
nossa conexão. O problema? É que eu não posso ter Justin, porém, nunca lhe
desejei tanto quanto agora.

Classificação:



Olá queridos leitores, a resenha de hoje será do livro (aaah *.*)  RoomHate.

Foi meu primeiro contato com a autora Penelope Ward, e, após o término desse livro, posso afirmar que ela ganhou mais uma leitora de suas obras. Há um tempo não me via envolvida com uma estória a ponto de chorar (gente, eu não choro com livros, ou, pelo menos, não chorava). Espero sinceramente que alguma editora brasileira compre os direitos autorais dessa obra ♥ #FicaDica .

Há um tempo, os romances publicados estão na mesmice (mocinho rico, mocinha desajeitada e blábláblá). Não me leve a mal, eu gosto da mesmice, porém estava precisando de um romance que me levasse a outro nível e encontrei isso no RoomHate. Li em apenas um dia. Simplesmente, abandonei tudo que tinha para fazer. Minha mãe dizia: “Gleyce não quer conversar comigo, então vou ficar falando até ela prestar atenção no que estou dizendo” (risos). Fazer o quê se o livro me prendeu? 



O romance conta a história de Amélia e Justin. Eles eram amigos de infância inseparáveis, no qual sempre dividiam pensamentos, lembranças e respeito um pelo outro; e, a todo o momento, cuidavam um do outro. No meio dessa linda amizade, surgiu aquele amor (sabe como é, né?). Além de terem que lidar com esse sentimento novo, eles também tinham que enfrentar problemas familiares. Logo, os dois só tinham um ao outro e a vovó Nana (avó da Amélia). Com tantos problemas e com o medo de perder o que tinham, o sentimento ficou guardado e, como se não bastasse, acontece algo que Amélia resolve fugir. Justin ficou só os pedaços, sem entender porque tinha sido abandonado pela pessoa em que mais confiava.

Após vovó Nana morrer, Amélia recebe a notícia que herdará a casa localizada na ilha Aquidneck em conjunto com Justin, seu ex-melhor amigo que não se vêem há 9 anos. Amélia vai a casa com a esperança de que Justin não fosse aparecer, pois bem, ele apareceu e ainda trouxe sua belíssima namorada.

Amélia não esperava ver Justin tão mudado (em outras palavras, sexy-gostosão-homem). Assim que o vê, sente tudo que sentia quando era mais nova só que, agora, é tudo mais forte e intenso. Porém, Justin que tinha o olhar inocente e o jeito encantador carrega no olhar a raiva e o jeito bruto. Apesar de todas as desavenças eles não podem negar a atração que ainda existe entre eles. Mas não pensem que vai ser fácil, existe tanta coisa por trás desse romance. Depois de um tempo recebemos tantas bombas que, no meu caso, fiquei desnorteada.     



Enfim, não quero dá spoiler, então vou contar algumas coisas que me fizeram amar esse livro. O fato de o livro mesclar entre o presente e passado, a cada capítulo, foi à chave de ouro, terminava sempre ansiosa para saber mais sobre o passado para entender o presente. Afinal o que fez Amélia fugir? 

Motivos para amar Justin:

1. A forma como Justin, apesar do ódio que estava sentindo e seu jeito bruto, nunca “humilhou” Amélia ou a tratou mal na frente de ninguém. (Pelo amor de Deus, quero um Justin na minha vida). 
2. Até quando ainda está com raiva dela ele ainda tem o instinto protetor. (para mim, recebeu mil pontos nesse quesito)
3. Gente, ele é músico ♥.
4. Tem um coração bondoso e mostra em vários momentos.
5. Sexy, sabe o que está fazendo ;)

Amélia também não fica para trás, ela é um personagem feminino forte, determinada e que sabe pedir perdão quando está errada. Para falar a verdade ela também sabe jogar muito bem. Passou por vários momentos difíceis e nunca abaixou a cabeça. Gostei muito dela, queria ser sua amiga HiHi.



Em vários momentos a autora me cativou e surpreendeu de um jeito que fez com que eu risse com eles, brigasse por eles, chorasse com eles; foi uma explosão de sentimentos e sensações sem explicação. A escrita é fluida, leve e direta; ela correu nos momentos que deveria correr e descreveu os momentos certos que mereceram mais atenção. Fazer o quê se ela me cativou a ler outros livros dela?